12 de nov de 2010

De pés para o ar


De pés  para o ar
Me deixo pairar
Me deixo fluir
Me deixo embalar

Agora encontrar
Meu lar, doce-lar
Intrínseca jornada
Dar-se asas a voar

Entrei em vigência
Me dei de bandeja
À minha excelência

Me pus a dançar
Olhei para o céu
De pés para o ar

Um comentário:

conscienciaempoesia disse...

Olá Giselle, esto retribuindo a visita e me encantando...
Lindo poema... adorei ver essa conexão de uma lado a outro sem extremos... só a sintonia da ligação com o céu...
Shalom
Sophia Christou