7 de abr de 2011

Deserto de mim


Chegara ao deserto de mim...
Dunas de infinitos sentimentos
grãos de areia  jogados ao vento
lugar donde se ouve o silêncio,
onde o tempo se permite dançar
terra do nada, onde o tudo é.
Terra de mitos, de tesouros escondidos
onde os limiares são vencidos.
Deserto é terra de morte, de rendição
é terra de profundo encontro, de libertação.
 As miragens, portais de possibilidades.
No deserto não se vê com os olhos do corpo
mas com os olhos da alma.
Mas, é preciso coragem
para acreditar na miragem
e visualizar um novo porvir.

Nascer do Sol no Monte Horebe - Deserto do Sinai, Egito

Êxodo - 4:27
Disse o SENHOR a Arão: "...Vai ao 
deserto, ao encontro..."

3 comentários:

Anônimo disse...

Lindo!

Anônimo disse...

Tocou-me a alma...

Anônimo disse...

Viva os Desertos, pois é nessas situações de secura que saímos a buscar mais, dentro de nós mesmos.

Gilberto