8 de mar de 2014

Não? Sim!


Não, as vezes, dói.
Quando o sim se transforma em não, dói.
Quando um não torna a esperança de um tudo em nada, dói.
Quando um não silencia uma voz querida, dói.
Quando um não surpreende a presença com a falta, dói.


Mas, se um sim vira não, não quer dizer que não. Quer dizer que sim para outras coisas.
Quando um tudo vira nada, quer dizer que o nada deve se tornar em um outro tudo.
Quando um não cala uma voz, quer dizer que sim para outras vozes.
Quando a falta substitui a presença, quer dizer estar na melhor das companhias. E assim, o dissabor de um não abre caminhos para um  futuro, e saboroso, sim.



Image: Google

Nenhum comentário: