3 de ago de 2011

É inevitável

Já não posso medir o tamanho de ser, se foram os limiares...
Não sei onde começou, tampouco onde vai terminar
sei que aqui estou, percorrendo oceanos e mares
admirando um outro céu, respirando novos ares.
Perto de Deus e da solidão, 
entorpecida por toda essa paixão.

É a paixão pela vida e dela não tenho medo
permito aliciar-me por seus encantos, e
enfeitiçar-me por seus segredos.
Essa paixão me move e me confunde.
É inevitável esse amor, essa dor, de estar viva.



Nenhum comentário: