30 de dez de 2010

No chuá de Oxum


Trieiros de magia
Pés descalços, terra fértil
Do céu o dom que inicia
A folhagem refletindo a sinastria

O verde cura em harmonia
A pele madura irradia
O coração bate em nostalgia
O presente é a própria filosofia

Cheiro de mato fresco
Traz à lembrança o despertar
Embora aqui já estive
O mistério ainda paira no ar

O som é de cachoeira
Água doce é curandeira
Bate na pedra, entoa seu canto
A força é da correnteza

Guardiã das água doces
Teu chuá minh'alma encanta
Sois da prosperidade filha, do verde a esperança
Tuas veias são os rios, as quedas d'água tua dança

Ainda sois como criança
Teus cabelos é o vento quem balança
Sentada na pedra te vejo sorrir
Ouço teu canto das águas emergir

Guerreira de paz 
 Cantarolas o sonhar
Cingida da suavidade
Sois de água a memória


Que 2011 seja doce como as águas de Oxum


 Vale Dourado, Pirenópolis

2 comentários:

ardala disse...

Hmmm esse vale dourado é energia pura!

Maria de Barro disse...

Iniciar 2011 nas águas de Oxum.
Transbordar a alma de águas límpidas que escorrem pela floresta.
Deixar sua força massagear o corpo até arder de prazer.
E sair de seu encanto com o espírito renovado.
2011 será doce como as águas de Oxum.

Um forte abraço e boa sorte!