23 de jul de 2010

Auto de agradecimento

Agradecida pelo tempo, um agente de esperança.
O tempo é Deus, o universo, nos dando a cada novo dia uma chance de mudança.

Agradecida pela mente.
Através dessa faculdade eu raciocino, decido e determino.
Com a mente eu ajudo meu corpo, que feito de carne e osso
sozinho não pode suportar precisa da mente para se guiar.

Agradecida pelas minhas mãos.
São elas que tocam e seguram.
Instrumento de graça e finalização, são as nossas mãos.
Também de autoridade, de limite e de vivacidade.
Símbolo do trabalho, de dádiva e de doação.

Agradecida pelos meus pés.
É com eles que me firmo à Terra, nossa mãe, no compasso da jornada.

Agradecida pelos meus olhos.
Janela da alma; o universo ali reside... não há um que vendo duvide.

Agradecida por todos os outros sentidos.
Já falei dos olhos e também das mãos, agora falo do paladar, do olfato e da audição.
Mas, não poderia deixar de falar da intuição.
Minha conexão com Deus, minha voz interior.

Agradecida pelo universo em sua totalidade.
Minha casa, minha verdade.
Uns falam de uma explosão,
outros da semente plantada,
outros na queda de Adão.
Mas o universo é Deus, e eu, em toda sua criação.

Agradecida pela noite e pelo dia.
Pelas quatro estações, e pelo equílibrio que me guia.

Agradecida pelos rios, pelos mares, pelos montes e pelas cachoerias.
Pelas árvores, pelo alimento e por toda Natureza.
Agradecida pelo ar que respiro, e por todos os outros elementos;
dos quais ainda não compreendo.

Agradecida por meus ancestrais.
Eles representam a minha linhagem de vida na Terra.
Trabalhemos essa compreensão, pois ela é fonte de luz para essa encarnação.

Agradecida pelo agora, pois é nele que eu habito.
Não é ontem nem amanhã, mas nesse exato momento que eu existo.

Agradecida por ter um coração; o aparelho principal.
A mente me permite absorver e comandar, mas se o coração para ela sucumbe.

Graças pela vida e a tudo que dela partilha.
Graças pela consciência e por todo o conhecimento que transforma, trazendo luz para nossa existência.

Plena.

Nenhum comentário: